Gabriel no tempo da igreja

March 14, 2017

                                    Gabriel no tempo da igreja

 

   Gabriel é o homem cuja história aclamou vida longa num tempo indefinido. Gabriel sobrevive sozinho numa Igreja em ruínas em Mar Grande, localizada na Ilha de Itaparica - Bahia há mais 30 anos. Sua representação perpassa do antigo ancião no alto da montanha ao indivíduo contemporâneo com sua individualidade impenetrável.  Literalmente chamado de “hermitão”, Gabriel é um mito para população local, chamam-no de santo, traficante, demônio e outras expressões, mas Gabriel é uma pessoa que decidiu viver do seu jeito, do seu modo, convicto de todo o inicio, meio e fim.            

    Sua expressão parece misturar a própria experiência iniciática, rezas, benções, mitos e ritos. Gabriel diz ter sido criado por uma índia, abandonado na porta da casa de uma família aos 5 anos e criado como uma criança normal, até a grande tragédia que mudaria sua vida.  Um acidente de carro comprometeu a vida de seus pais e irmãos. Apenas Gabriel sobreviveu, ainda jovem, arrumou uma mochila com poucas roupas e caiu no mundo rodando o Brasil, chegando na bendita igreja localizada na Bahia, disse para si mesmo – morrerei aqui. Entrou em seu “santuário” na década de 70 e ficou até a sua morte. Sobre a igreja, Gabriel dizia que toda noite demônios espanhóis vão atormentá-lo nos telhados, por isso em algumas ocasiões coloca garrafas cheias de água entre as telhas velhas. Para o ancião, a igreja além de santuário, parece ser também uma espécie de túmulo sagrado.     Gabriel parece uma figura divinizada pelo tempo, a barba longa, unhas crescidas e uma expressão de quem sabe muito da vida. Foram 4 dias de gravação, 1 semana de pesquisa e uma queda da nossa querida editora Iris de Oliveira num barranco chuvoso próximo a igreja. Descobri que a igreja tinha mais de 300 anos e realmente fora construída por uma família de aristocratas espanhóis. Além de ritos católicos, posteriormente a igreja fora centro de umbanda e reduto de hippies na década de 70. Hoje mais de 80% da igreja está em ruína, estranhamente, sobrou apenas o local onde Gabriel dormia. De resto não sobrou nada.

     O estado junto ao IPAC (Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia)praticamente ignora a possibilidade de restauração da igreja, deixando a cargo do mar e do tempo terminarem essa fabulosa história digna de um conto de realismo fantástico.

    

 OBS: Tema da exposição “Gabriel no tempo da igreja” realizada na Bélgica, Bahia e São Paulo por Valnei Nunes. O vídeo foi co-dirigido por Marcelo Rabelo, Iris de Oliveira e Valnei Nunes .  

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque
Posts Recentes

March 14, 2017

March 14, 2017

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square